A pandemia já acabou para o e-commerce?

Ao contrário de todos outros setores, o e-commerce foi o setor que mais se beneficiou no período agudo da pandemia, enquanto todos passaram por dificuldades e precisaram se reinventar e até se adaptar ao formato dele, o setor de comércio eletrônico teve seu primeiro pico a partir de 2019 cuja variação percentual foi superior a 10%, comparado ao mês anterior. O impulso às compras online teve esse aumento condicionado pela mudança imposta do cenário estrutural do mercado e da sociedade, isso proporcionou uma aceleração sobre as tecnologias e processos voltados para as atividades acessórias. Os países em desenvolvimento e menos desenvolvidos precisavam correr atrás de uma aprimorar sua extensão digital pelo seu território para que fosse possível aproveitar a disrupção econômica provocada pelo online, portanto isso só seria possível uma vez o aumento da capacidade tecnológica de cada um deles.

Para se ter uma ideia o PIB global (incluindo a china e os estados unidos) aumentaram expressivamente as vendas no varejo em cerca de US$ 2 trilhões em 2019, US$ 2,5 trilhões em 2020 e US$ 2,9 trilhões em 2021, segundo os números divulgados pelo ramo da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD). O principal motor de crescimento evidenciado por esse estudo foi, de fato, a digitalização incremental implementada durante esses períodos. No brasil, a região Norte foi responsável pelo maior crescimento da vendas via e-commerce do país, com um aumento de 27,02% de vendas pelo comércio eletrônico de varejo só no primeiro trimestre de 2022; a segunda posição ficou com a região nordeste (22,79%), seguida pelo centro-oeste (15,81%) e sul (14,36%). Para quem acreditou que os estímulos ocorridos nesse setor seriam algo temporário e passageiro, já podem se sentir contrariados. Ainda estão por vir muitas transformações que irão corroborar ainda mais para fortalecer as transações comerciais no ambiente do comércio eletrônico. Isso deixou muito claro que daqui pra frente o nível de exigência no setor logístico será ainda maior, pois essas operações irão afunilar as atividades de cada empresa no que diz respeito ao atendimento dedicado aos clientes durante todas as etapas do processo de vendas. De nada adianta posicionar-se enquanto vendedor no mercado online se, de fato, não houver uma preocupação logística de suas operações.


28 visualizações0 comentário